quarta-feira, 29 de março de 2017

VOCÊ JÁ TEVE PARALISIA DO SONO? DESCUBRA TUDO SOBRE ESSE FENÔMENO!

  O termo parece novo, mas diversas pessoas têm relatado há certo tempo que, após dormirem sentem perda brusca dos movimentos do corpo, como se de repente seu corpo pesasse toneladas, dando a impressão de que seu corpo está preso em cima da cama, além de relatarem perda da fala. Em alguns casos as pessoas também escutam vozes, ou passos dentro de seu quarto, como se alguém estivesse se aproximando, por vezes veem pessoas e/ou cenas e se desesperam.

Ainda não há uma explicação conclusiva, de acordo com alguns estudiosos, por isso quando situações como esta acontecem as pessoas ficam sem saber o que pensar ou a forma como devem agir.

Quem passa por este tipo de situação descreve-a como “um momento terror”, como se estivesse morrendo ou quase. Muitos atribuem estas sensações ao“diabo”, pois sentem-se perseguidas e até sufocadas.

Este fenômeno consiste em uma “paralisia temporária do corpo”, após a pessoa acordar ou, muitas vezes antes de adormecer, estando diretamente ligado ao REM (a fase natural do sono na qual ocorrem os sonhos mais vívidos). Esta paralisia ocorre quando o cérebro desperta do REM, o que faz com que a pessoa fique consciente, mas imóvel. Este fenômeno, em muitos casos, são acompanhados por “alucinações hipnagógicas”.

Muitas pessoas afirmam se verem totalmente imóveis deitadas na cama, porém pela grande possibilidade de surgir objetos “fantasiosos” no quarto, muitas acreditam que tudo foi somente um sonho.

Alguns especialistas acreditam que esta paralisia também esteja por trás de“casos de abduções e encontros com fantasmas”.

Os sintomas mais relatados por pessoas que sofrem desta condição são: paralisia total, perda total da voz, pouco controle da respiração e dos olhos. A pessoa também pode“ouvir vozes” e sentir que há mas alguém ali, em alguns casos pessoas têm relatado que sentem um peso sobre seu corpo.

“O cérebro paralisa os músculos para prevenir possíveis lesões, já que algumas partes do corpo podem se mover durante o sonho. Se uma pessoa acorda repentinamente, o cérebro pode pensar que ela ainda está dormindo, e manter a paralisia”, afirmam alguns especialistas.

A paralisia do sono pode variar, de poucos segundos à minutos e, normalmente são descritos como “momentos assustadores”.

Outros estudiosos porém, acreditam que possa estar diretamente relacionada à“inibição pós Sináptica de neurônios motores na ponte do tronco cerebral”.

Acredita-se que a maior parte da população tende a sentir esta paralisia uma ou duas vezes em sua vida.

Um sintoma comum entre quem sofre com este tipo de situação é a narcolepsia. Através de estudos foi possível verificar algumas causas que podem aumentar consideravelmente as chances da ocorrência de alucinações e paralisia do sono, confira alguns:

– Dormir de barriga para cima; – Agenda de sono irregular; cochilos; privação de sono;– Estresse elevado; – Mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém;– Um sonho lúcido que imediatamente precede o episódio; – Sono induzido através de medicamentos, como anti-histaminas.E você, já sofreu alguma vez com os sintomas das “paralisia do sono”?

Fonte: Nerdbb - via: http://www.sentimentosemfrases.com/voce-ja-teve-paralisia-do-sono-descubra-tudo-sobre-esse-fenomeno/

sexta-feira, 24 de março de 2017

SEU CHEFE É UM PSICOPATA?

Cerca de um quinto dos mais bem-sucedidos profissionais coorporativos tem níveis “extremamente altos” de traços psicopáticos, de acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Bond, na Austrália e Universidade de San Diego, nos EUA.
 

Os resultados, considerados mais elevados do que o esperado, foram apresentados recentemente em um congresso da Sociedade Australiana de Psicólogos, realizado em Melbourne. De acordo com informações do jornal Daily Mail, o estudo analisou um total de 261 profissionais do setor empresarial e revelou que 21% deles possuíam “níveis clinicamente significativos de traços psicopáticos”. Os pesquisadores afirmaram que o mesmo ocorre com uma a cada 100 pessoas da população em geral, e em uma a cada cinco pessoas do sistema prisional.

Outros estudos emergentes descobriam que indivíduos com traços psicopáticos poderiam fazer parte de 3 a 21% dos funcionários mais importantes do mundo corporativo. Ainda, após a crise global de 2008, os “psicopatas bem-sucedidos” tornaram-se muito mais comuns. Os pesquisadores destacaram no estudo a necessidade de as empresas conduzirem processos de seleção psicológicos mais específicos em relação às características presentes na chamada tríade obscura – um conceito que engloba três traços de personalidade: maquiavelismo, narcisismo e psicopatia.

“Muitas das vezes as empresas olham para as habilidades em primeiro lugar e, em seguida, consideram as características de personalidade”, disse Nathan Brooks, psicólogo forense da Universidade de Bond. Ele afirma que primeiramente deve-se analisar o caráter do candidato e, em seguida, se ele passar neste teste, considerar se possui as habilidades certas.

Conforme apontado pelos pesquisadores, os “psicopatas bem-sucedidos” são muitas das vezes inseguros, egocêntricos, podendo ser também charmosos e superficiais. Não têm empatia ou remorso e podem manipular as pessoas ao seu redor. “Normalmente, os psicopatas criam uma série de caos e geralmente tendem a colocar as pessoas umas contra as outras”, disse Brooks.

O estudo, de acordo com ele, tem implicações importantes para as empresas, uma vez que essas pessoas podem ter efeitos tóxicos sobre os funcionários e se envolver em práticas de negócios antiéticos e ilegais. Juntamente com as conclusões, a equipe desenvolveu uma ferramenta para ajudar as empresas a detectar potenciais psicopatas durante o recrutamento. “Esperamos implementar nossa ferramenta de triagem para que haja uma avaliação adequada para identificar este problema e evitar que esse tipo de pessoa chegue a posições mais importantes”, disse Brooks.

O conceito de psicopatas de sucesso é uma ideia controversa, mas não nova. Foi usada pela primeira vez em 1941 pelo psiquiatra norte-americano Hervey Cleckley, um dos pioneiros a destacar essa condição paradoxal em seu livro “The Mask of Sanity” (“A Máscara da Sanidade”). De acordo com ele, o psicopata é uma criatura híbrida, vestindo um véu envolvente de normalidade para esconder um núcleo emocional muito pobre e profundamente perturbado. São pessoas encantadoras, autocentradas, desonestas, livres de culpa, insensíveis e que levam uma vida desprovida de laços interpessoais profundos.

Contudo, ele também fez alusão à possibidade de que alguns destes indivíduos pudessem ser mais bem-sucedidos na forma ocupacional, e até mesmo interpessoal, em prazos mais curtos.

Fonte: Daily Mail - foto Pintere - via: http://www.jornalciencia.com/seu-chefe-e-um-psicopata/

domingo, 19 de março de 2017

O SEU ROSTO PODE REVELAR SUA PERSONALIDADE

A morfopsicologia é a disciplina que interpreta a personalidade dos indivíduos, dependendo das características de seus rostos: os lábios apertados são equivalente a um traço particular do caráter, olhos grandes para outro, o rosto alongado outro ainda .. e assim por diante.
Vamos ensinar então, como definir a personalidade de homens e mulheres dependendo dos seus rostos.

O ROSTO REDONDO
Quem tem um rosto redondo é geralmente caloroso e gentil, muitas vezes espontâneo, muitas vezes desamparado e ingênuo; geralmente, quer sempre evitar o confronto, preferindo estabelecer relações pacíficas com todos.

O ROSTO ALONGADO
Quem tem um rosto alongado tende a ser bastante emocional e é afetado por outras pessoas; ao mesmo tempo, no entanto, é seletivo e independente e quer ter o controle sobre todos os aspectos do mundo ao redor. Pessoas com o rosto alongado antes de agir observam e ouvem tudo,visto que têm uma notável capacidade de análise.

A FRONTE ALTA
Indivíduos com fronte bastante alta mostram traços como a segurança e a sinceridade, tentam a qualquer custo de ficar longe da desordem e do desconhecido, em todas as suas formas. O desejo de avançar com base em um esquema padrão se junta a uma excelente capacidade de lembrar as informações.

A FRONTE ESTREITA
Aqueles que mostram uma fronte estreita tem uma personalidade ao mesmo tempo impulsiva e agressiva. Isto significa que não refletem antes de agir, porque eles preferem provar as conclusões e as consequências de seus erros, aprendendo diretamente “no campo” por suas próprias ações.

OS LÁBIOS FINOS
Os lábios finos são típicos daqueles que preferem a qualidade sobre a quantidade. O seu gosto pessoal é índice de boa presença e seletividade, de linguagem elevada e sensualidade contida.

OS LÁBIOS CARNUDOS
Por outro lado, os lábios carnudos são peculiares em pessoas que, queiram ou não, têm uma grande sensualidade e procuram a todo momento os prazeres da vida. As pessoas que, em essência, não desdenham de desfrutar de tudo o quem fica ao seu redor, quer se trate de alegrias novas ou já conhecidas.

OS OLHOS GRANDES
Os homens e mulheres que têm grandes olhos tendem a se distrair muito facilmente visto que são muito receptivos; a sua sensibilidade é forte e resulta numa grande excepcionalidade e em uma curiosidade insaciável.

OS OLHOS PEQUENOS
Por outro lado as pessoas com olhos pequenos são muito sensíveis e, em muitos casos, tendem à mentir. Sua inteligência é particularmente seletiva e ao mesmo tempo esquemática.

O NARIZ PEQUENO
Quem tem um nariz pequeno é sensível e gentil; No entanto, muitas vezes, amplifica os problemas que aparecem na frente e os torna maiores e mais perigosos do que realmente são. Ao mesmo tempo são pessoas doces, e também adoráveis.

O NARIZ GRANDE
Existem muitas características da personalidade de alguém que tem um nariz grande, eles são, sujeitos muito firmes e também ativos, que tem um forte interesse em tudo que evolui, que muda, que se transforma e que está em movimento. Por esta razão, entre suas paixões há as descobertas culturais, mas também viajar e os esportes. Tudo o que tem a ver com espaço e liberdade.

Fonte: BBC Brasil

Teste de personalidade: Por qual das portas você entraria? Veja o que isso revela sobre você.

Os testes podem revelar muito sobre nossa personalidade, escolha uma porta acima e através do número veja o resultado abaixo:
 
1. Você é uma pessoa divertida, que adora deixar o ambiente descontraído! Aliás, você sabe apreciar o prazer das coisas simples da vida. Gosta de viajar e de conhecer outras culturas. Saiba que se precisar de ajuda as pessoas estarão prontas para te dar uma “mãozinha”.
 
2. Você é uma pessoa sem frescuras e não tem medo dos desafios da vida. Mas cuidado, nem tudo se resume à carreira! Tire um tempo para se conhecer melhor e apreciar as pessoas a sua volta. Lembre-se, na vida tudo pede equilíbrio e sempre há tempo de mudar o caminho escolhido.
 
3. “Pau para toda obra” isso é o que verdadeiramente te define. As pessoas apreciam muito sua companhia. Além disso, você é uma pessoa super artística e isso se manifesta de diversas formas. Mas você precisa se conhecer melhor e descer das nuvens. Foque um pouco mais no mundo real!
 
4. Tem alma de dramaturgo e se expressa muito bem com a escrita, a música e outros tipos de arte. Seu humor pode variar muito, mas poucas vezes você divide com outras pessoas o que anda pensando. Apesar de você achar que ninguém nunca vai entender seus sentimentos, deveria se arriscar mais e dar a chance dos outros te conhecerem melhor.
 
5. Você é super produtivo e sempre está cheio de coisas para fazer. Mas você precisa prestar mais atenção no que acontece à sua volta, especialmente com relação às pessoas. Tente relaxar mais e busque coisas que você goste fazer fora de sua rotina comum. Isso ajuda muito a mandar embora o estresse.
 
6. Relaxe e se preocupe menos com o que as pessoas pensam de você. Tente controlar sua personalidade autodestrutiva, afinal, nem tudo que acontece é culpa sua! Respire e relaxe, a vida não foi feita apenas para tentar agradar as outras pessoas!
 
7. Você está sempre pronto para tirar um tempo para os outros, mas isso não funciona da mesma forma quando o assunto é ter tempo para você mesmo. Você é muito sentimental e os laços familiares e de amizade são importantes em sua vida.
 
8. Você tem uma personalidade divertida e brincalhona, mas tende a ser uma pessoa ansiosa. Nem sempre é organizado e pode ser bem orgulhoso em situações específicas. Aprenda a se amar mais e metade de seus “problemas” estarão resolvidos.
 
9. Você é uma pessoa peculiar e está sempre tentando fazer com que as coisas funcionem bem. Além disso, você é uma pessoa muito fácil de se agradar e adora ajudar os outros. Outro ponto representativo sobre sua personalidade é que você precisa apenas do básico para se sentir feliz.
 
10. Estabilidade e plenitude são características importantes em sua vida. Você é uma pessoa é contida, econômica, precavida e nunca deixa nada para a última hora. Além disso, você prefere ficar calado que dizer coisas frívolas ou que podem machucar alguém. Seus problemas não são um peso para as pessoas, você pode compartilhar suas dúvidas às vezes. Libere mais seu lado criativo.
 Fonte:  http://www.sentimentosemfrases.com/teste-de-personalidade-por-qual-das-portas-voce-entraria-veja-o-que-isso-revela-sobre-voce/

sábado, 18 de março de 2017

6 doenças que causam cansaço

 Você dorme bastante e mesmo assim fica sem disposição para aguentar o dia? Cuidado! O cansaço pode ser um dos primeiros sinais de várias doenças. Confira:

 

Anemia


Baixa na produção de hemoglobina, proteína que transporta o oxigênio pelo sangue, gera fraqueza e indisposição. Existem tipos hereditários e os associados à falta de ferro.

 

Apneia


Um dos principais distúrbios do sono, reduz a oferta de oxigênio para o organismo ao restringir a passagem de ar pelas vias aéreas. Resultado: sonolência excessiva no dia seguinte.

Hipotireoidismo

Os hormônios da tireoide ditam o ritmo de trabalho das células de todo o corpo. Quando cai ou cessa a produção, o indivíduo padece de fadiga, desânimo e apatia.

 

Depressão


Mais do que cansaço, pessoas com diagnóstico de depressão relatam prostração. Em resumo, não sentem ânimo para fazer as refeições, sair de casa, ver amigos…

 

DPOC


Na fase inicial, a doença ligada ao tabagismo tira o fôlego num sobe e desce de escada. Com os anos, porém, tomar banho em pé ou ficar muito tempo deitado na mesma posição exige esforço.

 

Fadiga crônica


De origem desconhecida e difícil diagnóstico, a síndrome, que afetaria 1,5% da população, traz repercussões físicas e cognitivas. Há quem fique de cama por causa dela

Fonte: Msn - via: http://www.msn.com/pt-br/saude/medicina/6-doen%C3%A7as-que-causam-cansa%C3%A7o/ar-AAn7Ovw

quarta-feira, 15 de março de 2017

NARCISISMO: O ERRO DE PENSAR QUE VOCÊ É IMPORTANTE DEMAIS!

Provavelmente todos sabem como é conviver com uma pessoa para quem o ego é tudo. Essa sensação tóxica de ter que lidar com um narcisismo que apenas quer se exibir e crescer diante dos outros acaba sendo insuportável.
Ou seja, conviver com alguém que se nega a fazer uma autocrítica é como colocar pedras em um saco rasgado ou, dito de outra forma, falar com uma parede. Isso, infelizmente, aparece em certos âmbitos como uma característica de sucesso. Isso ocorre porque de alguma forma uma característica psicológica como o narcisismo é capaz de apagar os outros benefícios da luz própria.
Prepotentes, fantasiosos, com necessidade de admiração e ares de grandeza. Assim são as pessoas que empunham a bandeira do narcisismo, que se esquecem do que os outros sentem, que esperam ser reconhecidos como superiores e se divertem em suas fantasias de sucesso, poder, brilho, beleza ou amor ilimitado. Eles sentem que são únicos e que existe algo que os faz inigualáveis.
No entanto, sua autoestima é quase sempre frágil apesar de acreditarem que, através de suas atribuições, muitas de suas qualidades os fazem seres superiores. São muito sensíveis ao “dano” da crítica e da derrota, o que faz com que diminuam muitas vezes seu rendimento e seu funcionamento profissional, o que pode chegar a se manifestar em episódios depressivos. Por outro lado, nos momentos de grandiosidade a sensação que prevalece é um estado de ânimo maníaco ou hipomaníaco.
 Os que abraçam o narcisismo esperam que os reconheçam como seres superiores e, portanto, exigem uma atenção e admiração constante. Geralmente eles se preocupam que reconheçam seu trabalho e mantêm a expectativa de que sejam recebidos sempre “com festa”. Essas pessoas geralmente são invejosas e acreditam que os outros as invejam, o que faz com que se comportem de maneira arrogante e paternalista.
Seu senso de direito e sua falta de sensibilidade em relação às necessidades e aos desejos dos outros pode conduzir à exploração consciente ou inconsciente das outras pessoas. Assim, essa qualidade faz com que eles esperem e exijam dos outros uma dedicação especial. Se os demais respondem como eles gostariam, eles terão a determinação de dar privilégios especiais e recursos adicionais a quem acreditam que os mereça.
Além disso, conforme detalhado neste tipo de problema de personalidade, eles tendem a discutir suas preocupações e interesses de forma inadequada longa e detalhadamente, sem reconhecer os sentimentos e as necessidades dos outros. E mais, tendem a se mostrar impacientes com os outros quando esses falam de seus problemas e preocupações, criticando e olhando com desprezo os problemas das outras pessoas.
Narcisismo: vaidade de quem não tem outra coisa para exibir

Caminhava com meu pai quando ele se deteve numa curva e, depois de um pequeno silêncio, me perguntou:
– Além do cantar dos pássaros, você escuta mais alguma coisa?
Agucei os meus ouvidos e alguns segundos depois respondi:
– Estou escutando o barulho de uma carroça.
– Sim – disse meu pai – É uma carroça vazia.
– Como você sabe que é uma carroça vazia, se ainda não a vemos? – perguntei ao meu pai.
– É muito fácil saber quando uma carroça está vazia, por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz – me respondeu.
Virei adulto e até hoje quando vejo uma pessoa falando muito, interrompendo a conversa de todos, sendo inoportuna ou violenta, gabando-se do que tem e mostrando-se prepotente e fazendo menos das outras pessoas, tenho a impressão de ouvir a voz de meu pai dizendo:

“Quando mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz”.

A humildade consiste em calar nossas virtudes e deixar que os outros as descubram. E lembrem-se de que existem pessoas tão pobres que o único que têm é dinheiro. E ninguém está mais vazio do que aquele que está cheio de si mesmo. Geralmente, como se extrai desse texto, a arrogância, prepotência e o egocentrismo fazem muito barulho, diferentemente da imagem saudável de si mesmo (autoestima).
 As pessoas que se sentem muito importantes pulam como uma mola quando percebem qualquer tipo de ataque real ou imaginário, porque qualquer detalhe mínimo as faz sentir que tudo é uma ofensa e que estão lhe faltando com o respeito. Essa busca de reafirmação constante geralmente sai caro em suas relações pessoais e em seu desempenho vital.
Esse tipo de atitude nos faz reagir com rejeição, o que por sua vez perpetua o vitimismo dessas pessoas. Elas pensam que têm em seu poder a verdade absoluta sobre os outros, teorizam sobre carências e os problemas dos outros a respeito de si mesmos. Pouco a pouco vão afastando as pessoas do seu caminho, pessoas que realmente gostavam delas e que podiam lidar com suas dificuldades graças ao carinho que professavam.
Nesse sentido, não podemos esquecer que as pessoas que se comportam assim precisam de ajuda. Cabe a nós tentar ajudar e podemos nos aproximar deles, recomendar que consultem um profissional. Embora conseguir isso não seja fácil, nunca é tarde para tentar.

Fonte do texto: postado por a mente é Maravilhosa no site O Segredo - https://osegredo.com.br/2016/08/narcisismo-o-erro-de-pensar-que-voce-e-importante-demais/ 

sábado, 4 de março de 2017

QUEM SOFRE DE ANSIEDADE PERCEBE O MUNDO DE MANEIRA DIFERENTE

 Não dá para discutir com a ciência: as pessoas não podem ser responsabilizadas por ter doenças mentais.

Quem ainda acredita na ideia antiquada de que doenças mentais são coisas “que só existem na cabeça das pessoas” tem mais um motivo para parar de acreditar nesse mito.

Segundo um novo estudo da revista Current Biology quem sofre de ansiedade percebe o mundo de um jeito diferente – e isso se explica por variações no cérebro.

Tudo tem a ver com a plasticidade do cérebro, ou a capacidade do órgão de se reorganizar e formar novas conexões. Essas mudanças ditam como a pessoa responde a estímulos, e pesquisadores do Instituto Weizmann de Ciências, de Israel, descobriram que pessoas diagnosticadas com ansiedade têm menos propensão a distinguir entre estímulos “seguros” ou neutros e estímulos ameaçadores.

Os cientistas descobriram que as pessoas que sofrem de ansiedade têm uma plasticidade mais duradoura depois de uma experiência emocional (ou “estímulo”). Isso significa que o cérebro era incapaz de distinguir situações novas e irrelevantes de algo que é familiar e não-ameaçador, resultando em ansiedade. Em outras palavras, as pessoas ansiosas tendem a generalizar demais as experiências emocionais, sejam elas ameaçadoras ou não.

Mais importante, observam os pesquisadores, essa reação não é algo que esteja no controle dos indivíduos ansiosos, porque se trata de uma diferença fundamental do cérebro.

No estudo, os pesquisadores treinaram os indivíduos a associar três sons específicos com um de três resultados possíveis: perder dinheiro, ganhar dinheiro ou ficar na mesma. Na fase seguinte, os participantes ouviram cerca de 15 tons e identificaram se já tinham ouvido os sons antes ou não.

A melhor maneira de “ganhar” o jogo era não confundir ou generalizar os novos sons em relação aos que eles já tinham escutado antes. Os autores descobriram que as pessoas com ansiedade tinham maior propensão a achar que um som novo era uma repetição.

A explicação não está em problemas de aprendizado ou de audição – na realidade, algumas pessoas associaram os sons da primeira fase do estudo a uma experiência emocional (ganhar ou perder dinheiro) de maneira diferente de outros participantes do estudo.

Os pesquisadores também descobriram que, durante o exercício, as pessoas com ansiedade exibiram diferenças na amídala, a região do cérebro associada ao medo. O resultado pode explicar por que algumas pessoas desenvolvem transtorno de ansiedade e outras, não.

“Os traços da ansiedade podem ser completamente normais e até benéficos do ponto de vista da evolução. Mas um evento emocional, mesmo que de pouca importância, pode induzir mudanças no cérebro que podem levar a um transtorno de ansiedade”, disse o pesquisador Rony Paz em um comunicado.

A nova pesquisa é um lembrete de que as pessoas não podem ser responsabilizadas por ter doenças mentais; as evidências indicam que a saúde mental tem raízes genéticas e fisiológicas. Um estudo de 2015 descobriu que a ansiedade pode ser hereditária , enquanto outras pesquisas sugerem que a depressão pode ser uma doença inflamatória.

Entretanto, apesar de um crescente conjunto de pesquisa, ainda as doenças mentais são cercadas por estigma. Segundo os Centros de Prevenção e Controle de Doenças, órgão do governo americano, apenas 25% das pessoas que sofrem de doença mental acreditam que os outros compreendem suas experiências.

Fonte: http://www.sentimentosemfrases.com/quem-sofre-de-ansiedade-percebe-o-mundo-de-maneira-diferente/

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pesquisa revela quantas frutas e vegetais devemos comer por dia

As frutas e vegetais possuem uma importância crucial. Mas passar o dia comendo apenas um vegetal adianta? O que importa mais: quantidade ou variedade?

As frutas e vegetais possuem uma importância crucial nas nossas vidas. Os alimentos proporcionam nutrientes essenciais, fortalecem o sistema imunológico, protegem nosso corpo de doenças como câncer e ainda ajudam a cuidar da nossa pele e cabelos. Mas será que passar o dia comendo apenas um vegetal adianta? O que será mais importante: quantidade ou variedade?

Um trabalho realizado pela universidade britânica College London, concluiu que pessoas que consomem pelo menos cinco vegetais ou frutas por dia, correm menos risco de ter uma morte prematura ou sofrer de doenças cardíacas ou cancerígenas.

A pesquisa, que foi divulgada pela BBC, concluiu que cinco dosagens dos alimentos diariamente já seria suficiente para quem deseja obter uma vida mais saudável e equilibrada. Mas os especialistas também concluíram que não adianta comer cinco vezes ao dia apenas um vegetal ou fruta, pois tão importante quanto a quantidade é a variedade.

Para os especialistas a alimentação tem que ser variada, pois o ideal é tentar combinar as diferentes fibras, vitaminas e demais nutrientes que são oferecidas em cada alimento distinto.

Qual a melhor forma de consumir frutas e vegetais

A mesma pesquisa mostrou que os vegetais frescos possuem um maior efeito protetor. Quando eles são cozidos, muitos nutrientes acabam sendo perdidos.

O mesmo serve para as frutas, que possuem ainda mais benefícios quando consumidas in natura. Quando o alimento é usado no preparo de um suco, por exemplo, para tentar manter o máximo de nutrientes possível, aconselha-se não acrescentar açúcar à bebida.

Se a sua intenção, ao consumir tais alimentos, é tentar adquirir as diversas vitaminas, fibras, ferro e tantos outros nutrientes que ela proporciona, fuja das frutas e vegetais enlatados. Elas passam uma falsa impressão de serem saudáveis, mas possuem vários ingredientes químicos, principalmente para mantê-los conservados.

As frutas e vegetais também podem ser utilizados como ingredientes de sopas, saladas, massas e outras receitas.

Fonte do artigo: http://www.remedio-caseiro.com/pesquisa-revela-quantas-frutas-e-vegetais-devemos-comer-por-dia/

Alimentação infantil precisa de cuidados, sobretudo nas férias

Além do cardápio, também é muito importante manter um padrão de horário para as principais refeições.

Depois de um longo período dedicado aos livros e lições na escola, janeiro é tempo das crianças aproveitarem as tão merecidas férias. Época perfeita para aproveitar para viajar, estar entre os amigos, visitar os parques e fazer programas diferenciados. Porém, uma preocupação que está sempre atormentando a cabeça dos pais diz respeito à alimentação que deve ser seguida pelos pequenos.

Nesse quesito aparecem diversas tentações na forma de doces, fast food e tantas outras guloseimas. Mas, é bom que os pais sigam algumas dicas em relação à alimentação das crianças para evitar problemas, seja aqueles que aparecem de forma imediata ligadas ao sistema digestivo, como também o que podem trazer consequências mais graves como a hipertensão e obesidade.

Segundo a nutricionista Cyntia Maureen, além do cardápio, também é muito importante manter um padrão de horário para as principais refeições durante todo o dia. “Ao pular uma refeição, é praticamente certo que a criança irá comer exageradamente na próxima oportunidade, o que prejudica a alimentação e aumenta o risco de ganho de peso”, pontua.
Como manter hábitos nutricionais saudáveis

Dentro desse quesito, é bom levar em consideração algumas dicas simples e eficazes, passadas pela nutricionista Cyntia Maureen. Elas vão ajudar a manter a linha alimentar das crianças, mesmo na época das férias, sem fazer com que elas abram mão de algumas comidas, levando em consideração a preservação da saúde.

Hidratação

Um ponto que merece grande atenção por parte dos pais durante as férias é a hidratação. “O calor intenso e a correria das brincadeiras aumentam as necessidades hídricas e de sais minerais, portanto, é imprescindível oferecer água constantemente. Vale a pena lembrar que não devemos esperar os pequenos sentirem sede, pois isso já é um indício de desidratação”, orienta a especialista.

De acordo com Cyntia, alimentos que hidratam ao mesmo tempo em que saciam, como frutas e verduras são excelentes opções e, por conta disso, devem estar presente com muita frequência nas refeições das crianças, especialmente nos dias de calor intenso do verão. “Destaco a melancia, laranja, manga, pepino, cenoura e espinafre”, exemplifica.
Trocas saudáveis

Cyntia ainda lista algumas trocas valiosas que podem ser feitas fora de casa gerando diversos benefícios à saúde dos pequenos. “O ideal é substituir alimentos calóricos por opções de baixa caloria e alto valor nutricional. Por exemplo, oferecer sucos naturais ou integrais ao invés do refrigerante, preferir opções ricas em fibras, grão integrais e sem ou com pouca adição de açúcar, em detrimento de bolos e doces excessivamente açucarados, são boas pedidas para manter em dia a nutrição infantil”.
Opções práticas e saudáveis

Por fim, segundo a nutricionista, como as férias são um período marcado pela realização de diversos passeios fora do lar, é importante que os pais olhem com carinho para opções práticas e saudáveis, que podem ser transportadas com facilidade.

Fonte: http://www.remedio-caseiro.com/alimentacao-infantil-precisa-de-cuidados-sobretudo-nas-ferias/

sábado, 7 de janeiro de 2017

11 TRECHOS DA LITERATURA PARA NUNCA MAIS ESQUECER

A alta literatura é uma mina encantada, onde se extrai joias dos mais variados quilates. Você vai lendo e, de repente, algo cintila. Você acaba de descobrir uma pepita considerável; uma frase ou um período que lhe toca sinceramente, além do conjunto. Trata-se de um trecho que lhe diz uma verdade ou traduz algo que você sente e não sabe exprimir ou gostaria de ter dito, a respeito de qualquer assunto: o amor, a amizade, a morte, o mistério deste mundo. Seja lá o que for: nada é completamente estranho aos escritores. É por isso que só escreve bem quem lê os mestres, porque para escrever bem é condição sine qua non ter os ouvidos educados, saber ler a entrelinhas. Segue uma amostra ínfima deste universo gigantesco de sabedoria.

Philip Roth, em O Animal Agonizante

“Quando volto a olhar para ela, já vestiu a jaqueta outra vez. De modo que você compreende que a moça tem consciência de seu poder, mas não sabe direito como usá-lo, o que fazer com ele, não sabe nem mesmo até que ponto quer todo esse poder. O corpo ainda é novo para ela, a moça ainda o está experimentando, tentando compreendê-lo, é um pouco como um menino que anda na rua com uma arma carregada, sem saber se está armado para se proteger ou se para dar início a uma carreira no crime.”

Marcel Proust, em Em Busca do Tempo Perdido

“Assim, os que produzem obras geniais não são aqueles que vivem no meio mais delicado, que têm a conversação mais brilhante, a cultura mais extensa, mas os que tiveram o poder, deixando subitamente de viver para si mesmos, de tornar a sua personalidade igual a um espelho, de tal modo que a sua vida aí se reflete, por mais medíocre que aliás pudesse ser mundanamente e até, em certo sentido, intelectualmente falando, pois o gênio consiste no poder refletor e não na qualidade intrínseca do espetáculo refletido.”

Herman Melville, em Moby Dick

“Chamai-me Ismael. Há alguns anos — quantos precisamente não vem ao caso — tendo eu pouco ou nenhum dinheiro na carteira e sem nenhum interesse na terra, ocorreu-me navegar por algum tempo e ver a parte aquosa do mundo.”

Graciliano Ramos, em Vidas Secas

“Baleia queria dormir. Acordaria feliz, num mundo cheio de preás. E lamberia as mãos de Fabiano, um Fabiano enorme. As crianças se espojariam com ela, rolariam com ela num pátio enorme, num chiqueiro enorme. O mundo ficaria todo cheio de preás, gordos, enormes.”

Guimarães Rosa, em Grande Sertão: Veredas

“Com minha brandura, alegre é que eu matava. Mas, as barbaridades que esse delegado fez e aconteceu, o senhor nem tem calo em coração para poder me escutar. Conseguiu de muito homem e mulher chorar sangue, por este simples universozinho aqui. Sertão. O senhor sabe: sertão é onde manda quem é forte, com as astúcias. Deus mesmo, quando vier, que venha armado!”

Cervantes, em Dom Quixote

“Para que vejas, Sancho, o bem que encerra a andante cavalaria, e quão a pique estão os que em qualquer ministério dela se exercitam, de virem em pouco tempo a ser nobilitados e estimados do mundo, quero que sentes aqui ao meu lado e em companhia desta boa gente, e que estejas tal como eu, que sou teu amo e natural senhor, que comas no meu prato, e bebas por onde eu beber, porque da cavalaria se pode dizer o mesmo que se diz do amor: todas as condições iguala.”

António Lobo Antunes, em Os Cus de Judas

“Porque, deixe-me confidenciar-lho, sou terno, sou terno mesmo antes do sexto JB sem água ou do oitavo drambuie, sou estupidamente e submissamente terno como um cão doente, um desses cães implorativos de órbitas demasiado humanas que de quando em quando, na rua, sem motivo, nos colam o focinho aos calcanhares gemendo torturadas paixões de escravo, que acabamos por sacudir a pontapé e se afastam a soluçar decerto interiormente sonetos de almanaque, chorando lágrimas de violetas murchas.”

John Updike, em Uma Outra Vida

“Contudo, Fredericks voltou e removeu a mangueira para que o carro seguinte não atropelasse, ao mesmo tempo tentando imaginar como esses acessórios de nossa vida cotidiana, pacientemente conservados, guardados, enrolados e consertados como se sua utilidade fosse eterna, deviam parecer a alguém cuja morte era iminente. A mangueira. As flores. A colher de jardineiro abandonada cujo cabo amarelo-canário cintila entre as ervas silvestres ao lado do flox. O gramado mesmo, e o sol, o céu, as árvores semelhantes a maciços cenários bidimensionais desgastados — eles que se danem. O valor deles estava para ser submetido a uma revisão tão vasta e tão implacável que Fredericks não era capaz de imaginá-la.”

Mario Vargas Llosa, em Elogio da Madrasta

“Porque a felicidade era temporária, individual, dual, raríssima vez tripartida e nunca coletiva, municipal. Estava escondida, pérola em sua concha marinha, em certos ritos ou práticas cerimoniais que ofereciam ao ser humano lufadas e miragens de perfeição. É preciso se contentar com essas migalhas para não viver ansioso e desesperado, apalpando o impossível. “A felicidade se esconde no orifício das minhas orelhas”, pensou, de bom humor.”

Ian McEwan, em A Praia

“Tudo aquilo que ela precisava era da certeza do amor dele, e sua garantia de que não havia pressa, pois tinham a vida pela frente. Amor e paciência — se pelo menos ele tivesse conhecido ambos ao mesmo tempo — certamente teriam ajudado a vencer as dificuldades. E que dizer das crianças que poderiam ter tido, e da menininha com um arco no cabelo que poderia ter se tornado sua filha querida? É assim que todo o curso de uma vida pode ser desviado – por não se fazer nada.”

Vladimir Nabokov, em Lolita

“Era preciso escolher entre ele e H.H., e era desejável que H.H. existisse pelo menos alguns meses a mais a fim de que você pudesse viver para sempre nas mentes das futuras gerações. Estou pensando em bisões extintos e anjos, no mistério dos pigmentos duradouros, nos sonetos proféticos, no refúgio da arte. Porque essa é a única imortalidade que você e eu podemos partilhar, minha Lolita.”

Fonte: http://www.revistabula.com/5899-onze-trechos-da-litertura-para-nunca-mais-esquecer/ Por:J.C. Guimarães

ESCOLHA UMA ROSA E VEJA SUA MENSAGEM

Teste de Personalidade são realmente surpreendentes e revelam muito sobre nós!

Escolha uma rosa e veja o que ela revela sobre você:

01. Delicado (a). Quando resolve ficar pensando só, acaba indo para o mundo do conto de fadas; acredita nos sonhos como se reais fossem. Brinca como criança. Diverte-se com a liderança. Pode ser bastante popular.

02. Cuida bem da boa aparência. Adora um cineminha, um sorvetinho, um passeio. Aparecer para os amigos. Gostava de brinquedinhos mais caros. Adora se sentir a tal.

03. Divertido, amigo, sincero. Leal, e muitas vezes pensa no deixe acontecer, não quero nem saber. É uma pessoa amiga, tranquila e bem legal. em senso do correto. Sorte em aspectos sociais e profissionalmente poderá crescer muito.

04. Se sente diferente em aspectos pessoais. Acredita no progresso contínuo. Lealdade. Honestidade. Prefere as coisas boas e com qualidade comprovada. Divertido, amigo, sincero. É leal, e muitas vezes pensa no deixe acontecer, não quero nem saber. É uma pessoa amiga, tranquila e bem legal.

05. Sempre criança; gosta de brincar. Quer mais é se divertir. Praia, animais, passeios são sempre algo que te anima. Quer inovar, quebrar regras, seguir a tendência que você acha certa e não a imposta. É sensível, tem grupos pequenos de amigos mais próximos. Chama a atenção por sua beleza singular.

06. Pessoa generosa, amigo (a), coerente. Gosta de pensar antes de agir. Cauteloso. Namoro tradicional. Dento das formalidades. Gosta que as regras sejam cumpridas.

07. Sonhadora. Feminina. Pureza. Alguém se sempre adora ser amada, querida e apreciada. Apresenta em alguns momentos carência de afeto, mas não em exagero.

08. Pé no chão. Quer vencer. Acredita no poder de produzir as coisas. Ambição. Liderança. Beleza, sinceridade são atributos que você valoriza.

09. Sensível, detalhista, amigo, brincalhão, respeita as diferenças e quer ser respeitado. Acha-se diferente! Tem boa percepção das coisas e segue firme no que almeja.

FONTE: INTERNET

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

8 Hábitos Que Podem Destruir um Relacionamento

Qualquer relacionamento pode se beneficiar da proximidade. A proximidade é criada entre duas pessoas através do conhecimento sobre o outro e ao cuidar um do outro abertamente. Estas são ações simples que você pode começar a fazer a qualquer momento, com qualquer um que você escolher. Proximidade é o antídoto para a solidão e só depende de você!

1.Não dar valor: Não há melhor maneira de apressar o fim de um relacionamento do que simplesmente assumir que seu parceiro estará sempre lá para tornar sua vida mais fácil. Reconhecer o esforço de seu parceiro é imprescindível. Dizer “obrigado” e “por favor” faz parte da relação. Afinal, você não trataria um estranho em sua casa de forma diferente, então por que trataria a pessoa que você ama pior?

2.Parar de expressar seus sentimentos: À medida que avançamos em uma relação, é também natural parar de dizer “eu te amo” com tanta frequência, ou até mesmo demonstrar raiva e outros sentimentos. É como se os extremos de nossas emoções acabassem, e tudo que resta é um monte de sentimentos sem graça.
Ainda assim, permanece sendo importante compartilhá-los. Sim, os sentimentos apaixonados enlouquecidos do início de qualquer relacionamento tendem a desaparecer, mas isso não significa que você parou de sentir, ou que você deveria parar de dizer o que sente; só é diferente.

3.Optar por sono em vez de uma relação: Os dias no trabalho são longos e difíceis e, por isso, quando finalmente consegue se deitar em sua cama, fazer amor é a última coisa que passa pela sua cabeça. Nos fins de semana, você aproveita para recuperar o sono perdido da semana. Assim, a vida amorosa vai por água abaixo.

4.Esquecer de noites românticas a dois: Toda noite é a mesma coisa: jantar, TV, cama. Deixar de lado noites divertidas e românticas pode acabar com o sentido do relacionamento.

5. Acabar com o divertimento: Nós nos juntamos por muitas razões: perspectivas comuns, atração física, espiritualidade compartilhada, vida profissional compartilhada, etc., mas também desfrutamos de uma companhia simplesmente porque é divertido!
Quando a diversão deixa um relacionamento, pode ser um sinal de que ele está acabando. Diversão faz parte da vida e é definitivamente parte de qualquer relacionamento saudável. É importante continuar se divertindo conforme o relacionamento amadurece.

Ama dançar, mas não faz isso há tempos? Saia de casa. Conheceram-se durante uma caminhada, mas nunca mais pisaram num ambiente ao ar livre? Eis sua grande chance.

6.Fazer uma cena em público: “Acertar as contas” em um restaurante, gritar na calçada ou exibir o “tratamento do silêncio” na festa de um amigo pode ser muito prejudicial para o relacionamento (além de ser muito feio e desagradável). Evite fazer uma cena em público. Em vez disso, mantenha as suas desavenças apenas entre vocês dois.

7.Provocar demais: Apesar de um pouco de provocação poder ser algo engraçado, provocar demais pode prejudicar o relacionamento. Não envergonhe o seu parceiro na frente dos outros, nem continue a provocá-lo /a quando o seu parceiro/a lhe pedir para parar.

8.Testar a fidelidade do parceiro/a: Nunca faça isso. Relações são baseadas na confiança e no respeito mútuo. Em vez disso, concentre-se em sua própria lealdade para com o seu parceiro/a. Se você não sente que pode confiar, não é um teste de fidelidade que resolverá o seu problema.
Fonte: http://www.sentimentosemfrases.com/8-habitos-que-podem-destruir-um-relacionamento/

15 coisas que você não deve a ninguém (embora ache que deva)

Muitas escolhas que fazemos na vida, desde daquilo que pensamos, até como nos conduzimos pela vida e com quem interagimos estão sujeitas a despertar perguntas e comentários daqueles que nos rodeiam. Os membros da família, amigos e até mesmo completos estranhos, muitas vezes parecem ter uma opinião sobre as coisas que fazemos, não importa quão pequenas ou insignificantes essas coisas possam parecer para nós.

Às vezes as pessoas vão tão longe a ponto de pedir-lhe para explicar-se pelas decisões ou escolhas que você faz em sua própria vida. Você pode se sentir obrigado a responder, mas algumas coisas realmente não interessam a mais ninguém e você não deve a ninguém explicações sobre essas 15 seguintes coisas, embora você acha que deva.


1. VOCÊ NÃO DEVE A NINGUÉM UMA EXPLICAÇÃO SOBRE SUA SITUAÇÃO DE VIDA

Se você está morando com o seu ex-namorado ou namorada, dando entrada em diferentes quartos de motéis em todo o país, ou vivendo com seus pais mesmo que já tenha passado dos vinte anos, você não tem que explicar a ninguém o modo como vive ou o porquê se não quiser. Se você está plenamente consciente de sua situação de vida, então isso significa que você tem suas próprias razões para estar nessa situação e isso não é da conta de ninguém.


2. VOCÊ NÃO DEVE A NINGUÉM UMA EXPLICAÇÃO SOBRE SUAS PRIORIDADES DE VIDA

Você tem suas próprias ideias sobre as coisas que fazem você e seus entes queridos verdadeiramente confortáveis e felizes, e essa é a sua principal prioridade. Uma vez que somos todos indivíduos únicos com diferentes valores, sonhos e aspirações, suas prioridades fundamentais serão diferentes das de outras pessoas. Você não deve a ninguém explicações sobre o que você julga serem suas prioridades. É um problema seu e de mais nenhuma outra pessoa.

3. VOCÊ NÃO DEVE A NINGUÉM UM PEDIDO DE DESCULPAS SE NÃO ESTÁ ARREPENDIDO

Se você não se arrepende de suas ações, acha que alguém está errado sobre alguma coisa, ou não se importa muito com o perdão da pessoa, você não tem que se desculpar. Muitas pessoas são demasiado rápidas para oferecerem desculpas e tentarem consertar as feridas que ainda não estão prontas para ser reparadas, o que só serve para agravar a ferida e trazer mais problemas. Você realmente não tem que pedir desculpas se não está arrependido ou se o seu lado da história não foi ouvido.

4. VOCÊ NÃO DEVE A NINGUÉM UMA EXPLICAÇÃO POR QUERER PASSAR UM TEMPO SOZINHO

Você pode ser definido como “grosseiro”, “antissocial” ou “indiferente” ao cancelar os planos ou outras obrigações, porque precisa de um tempo sozinho para relaxar ou simplesmente desfrutar de um bom livro. No entanto, passar um tempo sozinho é uma prática absolutamente normal, natural e necessária que mais pessoas deveriam adotar. Viva o seu tempo a sós com confiança porque você não deve a ninguém uma explicação sobre isso.

5. VOCÊ NÃO DEVE CONCORDAR COM AS CRENÇAS PESSOAIS DE NINGUÉM

Só porque alguém compartilha suas crenças pessoais apaixonadamente, não significa que você tem que acenar com a cabeça em sinal de aprovação para tudo o que dizem. Se você não compartilha de suas crenças, é injusto consigo mesmo e com a outra pessoa suprimir seus próprios pensamentos e sentimentos e fingir que concorda com elas. É certo e melhor discordar graciosamente, ao invés de engarrafar sua desaprovação e frustrações.

6. VOCÊ NÃO DEVE UM SIM A TODO O MOMENTO

Você tem o direito de dizer não quando não há nenhuma razão para dizer sim. Na verdade, as pessoas mais bem sucedidas do mundo são aquelas que aprenderam a dominar a arte de dizer não a tudo o que não é prioridade. Reconheça a bondade de outras pessoas e seja grato por isso, mas não tenha medo de recusar educadamente qualquer coisa que leve o seu foco para longe de seus objetivos e prioridades fundamentais.

7. VOCÊ NÃO DEVE EXPLICAÇÕES SOBRE SUA APARÊNCIA FÍSICA

Você pode ser magro, gordo, alto, baixo, bonito, simples ou o que seja, mas não tem que explicar a ninguém por que tem essa aparência. Sua aparência física é problema seu e você só deve satisfação a si mesmo. Sua aparência física não deve determinar a sua autoestima.

8. VOCÊ NÃO DEVE A NINGUÉM EXPLICAÇÕES SOBRE SUAS PREFERÊNCIAS ALIMENTARES

Existem certos alimentos que você simplesmente não gosta por diferentes razões, incluindo preferência de gosto e problemas de saúde. Você não tem que explicar a ninguém porque prefere certos alimentos. Sua preferência alimentar é uma questão que deve ficar para você. Se alguém te importuna sobre por que você está comendo (ou não) determinados alimentos, encolha os ombros e diga que você se sente melhor comendo (ou não) os alimentos.

9. VOCÊ NÃO EXPLICAÇÃO SOBRE SUA VIDA SEXUAL

Quando ela acontece com seu consentimento, você não deve a ninguém explicações sobre onde, quando e como você conduz sua vida sexual. Você pode esperar até o casamento, tentar uma só noite ou experimentar encontros com pessoas do mesmo sexo. Ainda assim não tem que explicar suas preferências sexuais a ninguém.

10. VOCÊ NÃO DEVE EXPLICAÇÃO SOBRE SUA CARREIRA OU ESCOLHAS DE VIDA PESSOAIS

Às vezes, as circunstâncias nos obrigam a escolher entre o trabalho e “ter uma vida”. A decisão nem sempre é fácil e você pode acabar escolhendo trabalho, não porque não se preocupa com sua família ou vida social, mas porque está trabalhando em algo que lhe dará a segurança no futuro. De qualquer maneira, você não deve a outros uma explicação por escolher sua carreira de ao invés de sua vida pessoal, desde que você tenha certeza do que está fazendo e porque está fazendo.

11. VOCÊ NÃO DEVE EXPLICAÇÕES A NINGUÉM SOBRE SUAS OPINIÕES POLÍTICAS OU RELIGIOSAS

Se você é democrata, republicano, católico, protestante ou muçulmano, essa foi uma escolha pessoal. Você não deve explicar a ninguém por que você é o é, e acredita no que acredita. Se alguém não pode aceitá-lo pelo você é, não é problema seu.

12. VOCÊ NÃO DEVE SE EXPLICAR POR SER SOLTEIRO

Se você é solteiro porque quer ou porque não da certo com ninguém, isso é da sua conta. Ser solteiro não é um transtorno de personalidade. Você é livre para estar em um relacionamento ou não. Além disso, você é muito mais do que o seu status de relacionamento e “solteirice” é apenas um desses rótulos sociais que ninguém deve realmente se preocupar.

13. VOCÊ NÃO DEVE IR A UM ENCONTRO SÓ PORQUE FOI CONVIDADO

A pessoa pode ser gentil, de boa aparência e você pode até estar um pouco interessado, mas você não deve a ela um encontro só porque ela pediu. Se você sentir que não quer ir, então não vá. Você pode dar um explicação do porque recusou, mas mantenha sua decisão.

14. VOCÊ NÃO DEVE EXPLICAÇÃO SOBRE SUA DECISÃO SOBRE O CASAMENTO

Escolher se casar e ter filhos ou ficar solteira é uma decisão pessoal. Mesmo que a sua mãe esteja morrendo de vontade de ter netos, ela deve compreender que o casamento é uma decisão pessoal e não é adequado para todos. Ela deve respeitar sua decisão sobre isso, não importa quão difícil seja aceitar.

15. VOCÊ NÃO DEVE EXPLICAÇÃO SOBRE SUAS ESCOLHAS DE RELACIONAMENTO

Às vezes, as pessoas fazem comentários inapropriados sobre o seu relacionamento, o que realmente não é da conta delas. Você pode ouvir comentários como “você não é o par perfeito” ou “você deve encontrar outra pessoa”. No entanto, você não deve respostas a ninguém além de si mesmo, por suas escolhas de relacionamento. Viva a sua vida e nunca, nunca saia ou fique em um relacionamento só porque alguém diz. Cometa seus próprios erros, mas aprenda com eles sempre.

Fonte do texto: http://www.sentimentosemfrases.com/15-coisas-que-voce-nao-deve-a-ninguem-embora-ache-que-deva/

6 diferenças entre gostar e amar

O que te leva a falar “eu te amo” para outra pessoa? E mais… como você sabe que está amando? Como saber que não é uma simples “paixão de verão” ou um crush de momento?

Para te fazer pensar melhor no poder das palavras como representantes de sentimentos tão profundos como o amor, separamos 6 tópicos que te ajudarão a entender quais as principais diferenças entre “amar” e “gostar”.

1. Beijo

Gostar: você não perde a noção do tempo, muito menos do espaço. Você sabe muito bem onde está e, de vez em quando, abre os olhos para conferir o mundo a sua volta.

Amar: quando se ama, o beijo faz com que você viaje na velocidade da luz, perdido entre um vórtice de sensações que fazem o tempo e o espaço desaparecerem.

Um beijo com amor faz com que você se sinta atordoado, sem fôlego e extremamente feliz!

2. “Relação Intima”

Gostar: quando não há amor, o ato ainda pode ser bom, mas não deixa de ser essencialmente carnal.

Amar: quem ama não tem uma relação intima passageira … Faz amor! A relação carnal com amor é uma ligação que vai além do físico, pois requer um nível de sensibilidade que só é atingido quando o carinho mútuo é intenso.

Assim como sugere o célebre escritor Mario Quintana, o sexo com amor é uma das coisas mais bonitas deste mundo!

“Quando duas pessoas fazem amor não estão apenas fazendo amor Estão dando corda ao relógio do mundo” -Mario Quintana

3. Relacionamento

Gostar: todos os relacionamentos promissores começam com um simples gostar. A partir deste ponto, temos duas opções: o relacionamento floresce e nasce um belo amor; ou vai definhando até que desapareça totalmente…

Amar: um relacionamento com amor é baseado na proteção, no zelo e no cuidado continuo com o companheiro ou a companheira.

Às vezes, quando se ama alguém é necessário simplesmente deixá-lo partir. O amor não deve aprisionar ninguém. Acima de qualquer coisa, amar é querer a felicidade do próximo, mesmo que isso doa.

Ah, outro detalhe: amar é resistir ao ciúme e ao egoísmo, ok?

4. Brigas

Gostar: todos os casais brigam, mas quando não há amor, não há empenho em resolver as desavenças.

Uma dica para salvar o seu relacionamento depois de uma briga? Aqui vai:

“Apaixone-se por alguém que volte para conversar com você depois de uma briga, depois do desencontro, por alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro.” – Tati Bernardi

Amar: as brigas sempre se transformam em ensinamentos quando se ama. O orgulho e o egoísmo devem estar “fora de jogo” quando o amor predomina na relação.

“Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro.” – Carl Jung

5. Cotidiano

Gostar: os abraços são apertados, mas não duram muito tempo. O cotidiano de um relacionamento sem amor tem os seus dias contados…

Amar: é não ter vergonha ou receio de mostrar todos os dias o quanto a pessoa amada é especial. O cotidiano com amor é uma constante partilha e soma de sentimentos e experiências que permanecerão com você ao longo de toda a vida!

6. Futuro

Gostar: pairam as dúvidas. Mesmo gostando muito de alguém, quando não há amor, torna-se impossível pensar num futuro a longo prazo com o seu companheiro(a).

Amar: é ter a certeza que quer construir uma vida em conjunto com a sua alma gêmea. É saber que dias ruins também virão e a vida não é um conto de fadas, mas mesmo assim está muito feliz por passar os anos ao lado da pessoa que te completa.

Agora que você já conseguiu compreender melhor aquilo que está sentindo, pode falar sem medo nenhum aquelas “três palavrinhas mágicas” do começo do texto: “EU TE AMO”.

Fonte: Pensador - via: http://www.sentimentosemfrases.com/6-diferencas-entre-gostar-e-amar/

5 PECADOS QUE PODEM DESTRUIR SEU RELACIONAMENTO

ORGULHO

O orgulho é um dos sete pecados capitais, e pode ser especialmente destrutivo para um casamento. O orgulho nos impede de pedir desculpas – algo bastante comum em um relacionamento duradouro. Quando estamos em desacordo, é o nosso orgulho que nos faz querer estar certos, o que geralmente significa que a outra pessoa tem que estar errada. Para livrar o seu casamento do orgulho, concentre-se nas coisas boas sobre o seu cônjuge e seu relacionamento e expresse gratidão. E torne-se bom, realmente bom em pedir e aceitar desculpas genuínas.

DESCONTENTAMENTO

Expectativas não atendidas são responsáveis por uma grande parte de nossa infelicidade – mesmo que essas expectativas sejam irreais. O descontentamento tem pouco a ver com o que acontece no exterior e tudo a ver com nossa atitude e abordagem. Se você está achando que tudo o que seu cônjuge faz irrita você, tente algumas destas técnicas para trazer contentamento à sua vida – e seu casamento.

DISTRAÇÃO

No início de um relacionamento, seu foco é apenas no outro. Tempo para ficar juntos é prioridade. Após a fase de lua de mel se desvanecer – mesmo que o casal ainda se preocupe profundamente um com o outro – as pessoas caem na rotina de cuidar de crianças, trabalho e outras obrigações. Uma planta que não é constantemente regada e alimentada irá inevitavelmente murchar. O mesmo acontece aos relacionamentos.

MAL-ENTENDIDOS

Existe um nível de conforto no casamento. Quanto mais você conhece alguém, mais você pode antecipar seus sentimentos ou pensamentos. Mas, tenha cuidado – especialmente ao presumir algo negativo – não coloque palavras na boca de seu parceiro. Uma comunicação eficaz continua a ser importante em todas as fases de um relacionamento.

ACREDITAR QUE SEU CÔNJUGE O FARÁ FELIZ

Ninguém é obrigado a fazê-lo feliz. Ninguém pode lhe dar a felicidade. Você não irá encontrá-la, você só pode construí-la. Alguns dias – semanas ou anos – serão melhores ou piores do que outros.

Fonte: Fina e rica (Internet)

QUER SER FELIZ? PARE DE SER LEGAL COM TODO MUNDO!

Por toda a minha vida eu me considerei uma pessoa extrovertida.

Muita gente acha que extrovertidos são aqueles que têm a habilidade de conversar com todo mundo, enquanto introvertidos são tímidos. É um pouco isso, mas não é totalmente assim.

De forma bem simplista, introvertidos são aqueles que recarregam suas energias quando estão sozinhos. Ouvem mais do que falam e, mesmo os que não são tímidos (sim, existem introvertidos que não são tímidos), depois de um certo tempo interagindo com os outros se sentem esgotados e querem se isolar.

Extrovertidos são oposto disso. Eles se sentem “energizados” quando estão com outras pessoas. São os que gostam de conversar não importa o assunto. Mais falam do que ouvem o que os outros têm a dizer e se sentem mais felizes na companhia dos outros do que sozinhos.

 Quando comecei a viajar e trabalhar sozinha, eu sentia muita falta das interações diárias com as pessoas, como eu costumava ter no meu antigo trabalho, por exemplo. Sentia falta de ter sempre a opção de encontrar uma amiga para conversar depois de um dia difícil ou apenas para bater perna no parque ou no shopping, sei lá.

Outra característica é que eu sempre fui muito ativa em relação às minhas amizades. Mandava mensagens regularmente para os amigos e estava sempre planejando encontros, festinhas, jantares nos fins de semana e raramente dizia não a um convite.

Ao longo desse ano eu percebi que eu tenho agido e me sentido diferente. Não foi proposital, mas alguns fatores externos acabaram sendo responsáveis por isso, como:

FALAR INGLÊS = FALAR MENOS

Por passar 95% do meu tempo falando inglês, eu comecei a ouvir muito mais do que falar. Para ser capaz de entender tudo o que estava acontecendo e sendo dito eu precisava prestar mais atenção do que o normal e também pensar mais antes de dizer algo. Depois de um tempo eu percebi (MEU DEUS) o quanto eu falava!

Quando falamos demais, pelos menos 30% do que falamos talvez não precisasse ser dito. Além disso, estamos tirando a oportunidade de outras pessoas no grupo (muitas vezes introvertidas) falarem também e isso pode nos privar de conversas e pontos de vista interessantes sobre algum assunto por não sabermos ouvir.

SEM EMPREGO FIXO = SEM VIDA SOCIAL

Minha primeira preocupação quando comecei viver dessa forma foi: como eu faria novos amigos sem ter um trabalho ou uma razão específica para sair de casa todos os dias? Isso é muito difícil! A gente não faz ideia do quando a nossa vida gira em torno do trabalho ou do quanto ele é importante para a nossa vida social até sairmos desse esquema “9h as 18h“.

Eu passo basicamente a semana toda trabalhando sozinha e precisava encontrar uma alternativa. Esse foi um dos principais motivos que me fez entrar para um grupo fechado de empreendedores que vivem esse mesmo estilo de vida.

Foi esse grupo que me trouxe, pela segunda vez, a um grande evento que eles fazem todos os anos em Bangkok e foi lá que eu cheguei a uma outra conclusão…

MENOS TEMPO PARA SOCIALIZAR = DIZER MAIS NÃO E SER MAIS SELETIVA

A primeira vez que eu vim à esse evento no ano passado meu pensamento foi: preciso conversar com o maior número de pessoas possível, já que esta é minha grande oportunidade de fazer amigos e contatos profissionais não estando todos os dias em um ambiente corporativo.

Sem exagero, eu conversei com umas 100 pessoas de todas as partes do mundo em dois dias, sendo que metade do tempo era dedicado a palestras.

Como todo mundo, eu também tinha um discurso meio pronto que falava de onde eu era, o que eu fazia antes de pedir demissão e o que eu estava fazendo atualmente. Foi ótimo, fiz vários contatos!


Muitos, eu encontrei de novo quando morei no Vietnã, Hong Kong, Medellín e outros lugares onde fiquei por menos tempo. Também é verdade que, quanto mais tempo eu passava nos lugares, mais estreitas ficavam essas relações e algumas renderam boas amizades e até uns trabalhinhos.

Este ano eu estive no evento mais uma vez. Muitas das pessoas que eu conheci no ano passado estavam aqui, mas tinha quase o dobro de gente. O que eu percebi foi que, em vez de me esforçar para conhecer novas pessoas, eu naturalmente estava muito mais interessada em elevar o nível da minha amizade com aqueles que eu já conheço, gosto e não tenho tantas oportunidades para encontrar durante o ano.

Isso me fez notar que o mesmo aconteceu com os meus amigos de São Paulo. Quando visito a cidade, tenho tão pouco tempo que preciso selecionar os lugares e com quem vou estar. Também percebi que muitas pessoas só estavam presentes na minha vida porque era fácil, já que eu sempre tomava a iniciativa e falava com elas.

Com a distância, acabei perdendo o contato com alguns que eu considerava grandes amigos e fortalecendo a amizade com aqueles que realmente estavam dispostos a manter o diálogo mesmo que não tão frequente ou pessoalmente como antes.

Hoje, percebo que a distância e um certo isolamento forçado foram excelentes para que eu me tornasse uma pessoa menos ansiosa (embora eu ainda seja muito), para que eu aprendesse a dizer não para aquilo que não vai ser tão importante para mim, para que eu começasse a identificar quem são meus verdadeiros amigos e passasse um tempo de muito mais qualidade com essas pessoas, principalmente quando eu estou no Brasil ou em algum outro lugar onde eles estejam.

Para muitos, isso pode parecer um comportamento egoísta, mas eu prefiro chamar de prioridade. Quero dar o melhor de mim para aqueles que realmente vão apreciar isso e não simplesmente para ser a “legalzona” e acabar tendo de fazer várias coisas que eu não estou com tanta vontade, sabe como é?

Em outras palavras o meu grande aprendizado foi: não tente ser legal dizendo SIM à tudo aquilo que você já sabe que existe a chance de ser meia-boca. Ou é COM CERTEZA ou NÃO!

Fonte: Escrito por FÊ NEUTE-FELIZ COM A VIDA -VIA: http://www.sentimentosemfrases.com/quer-ser-feliz-pare-de-ser-legal-com-todo-mundo/